Urticária: O que é? Como lidar com os sintomas?

Mulher sentada no sofá assoando o nariz.

Urticária: se você ainda não teve essa alergia de pele, é bem provável que já tenha ouvido falar em algum momento. Ela pode ser um tanto incômoda e desagradável, se divide em alguns subtipos e pode exigir tratamento contínuo. Quer entender mais sobre o que é urticária, quais os principais sintomas e possíveis tratamentos para a doença? Não deixe de conferir nosso artigo especial sobre o assunto!

Quais são os principais sintomas da urticária?


A urticária costuma se manifestar sob a forma de lesões dermatológicas de aparência avermelhada e formatos diversos, que podem surgir em qualquer área do corpo. As manchas geralmente estão acompanhadas de coceira, irritação e desconforto. Na maioria dos casos, surgem de forma espontânea e também desaparecem espontaneamente entre 24 e 72 horas1.

Outros sintomas menos comuns podem incluir queimação no local irritado e angioedema, um inchaço que pode ocorrer em sua maioria nos lábios, língua e garganta, podendo até dificultar a respiração. Em casos mais graves, também pode acontecer a anafilaxia, que é a reação alérgica generalizada que causa vômitos, queda brusca da pressão arterial e inchaço na garganta. Ambos, tanto o angioedema como a anafilaxia, são casos que podem colocar em risco a vida do paciente1.

O que causa a urticária? Quais os tipos possíveis?


As causas de urticária na pele podem variar de acordo com o subtipo em que se enquadram. De forma geral, os quadros podem ser categorizados em quatro tipos, de acordo com a causa e tempo de duração:

  • Urticária aguda espontânea: as lesões, nesse caso, surgem de forma abrupta e somem em menos de seis semanas;
  • Urticária crônica espontânea: acontecem pelo menos duas vezes por semana e as lesões têm mais de um mês e meio de duração;
  • Urticária crônica episódica: semelhante à urticária crônica espontânea, a diferença deste tipo de urticária é que ela dura mais de seis semanas e também tem a recorrência de duas vezes (minimamente) a cada sete dias;
  • Urticária crônica induzida (ou física): nesse caso, a alergia é causada por fatores externos, como a temperatura, pressão ou os próprios raios solares. Cerca de 20 a 30% das urticárias crônicas se encaixam neste subtipo2.

Abaixo, falaremos um pouco sobre alguns tipos de urticárias físicas e suas particularidades.

Urticária solar: tipo raro de alergia na pele em contato com raios UVA e UVB


A urticária solar é uma das formas mais raras deste tipo de alergia e é considerada uma fotodermatose. Os sintomas começam surgir logo após a exposição do paciente aos raios solares, rapidamente desencadeando coceira, irritação e vermelhidão. Geralmente, as lesões tendem a desaparecer de 1 a 2 horas após o fim da exposição, mas casos mais graves de exposição prolongada aos raios solares podem evoluir para anafilaxia. De forma geral, é possível controlar a urticária solar com medicamentos antialérgicos3.

Urticária aquagênica: reação alérgica da pele em contato com a água


Outro subtipo da alergia também considerado raro é a urticária aquagênica. Ela se dá a partir do contato do paciente com a água em qualquer temperatura. Geralmente, as manchas medem de 2mm a 3mm de diâmetro e afetam mais mulheres do que homens. A duração das lesões pode variar de 10 a 50 minutos, acometendo quase sempre o tronco e os braços. Ela costuma aparecer na puberdade, quase nunca surgindo em idade adulta. O tratamento é feito com antialérgicos e cremes de barreira para evitar as crises4.

Urticária colinérgica: surge na pele em contato com o calor


Um tipo mais comum é a urticária colinérgica, que corresponde a 5% dos casos de urticária crônica e a 30% das induzidas. Sua principal característica é o aparecimento das lesões a partir do contato da pele com temperaturas altas, o que pode ocorrer em um banho quente, práticas de exercícios físicos, ao tomar um chá ou café muito quente ou até mesmo durante o verão. As urticas podem permanecer na pele de 15 minutos à 1h e, geralmente, as crises são acompanhadas de inchaço5. Vale lembrar que as lesões causadas por esse tipo de urticária são diferentes das queimaduras causadas pelo contato com o fogo ou radiação solar.

Perniose: a urticária ao frio


É chamado de perniose o tipo de reação alérgica da pele a estímulos mais frios que a temperatura corporal, como um banho muito gelado. É mais comum em indivíduos jovens, especialmente nas mulheres, e pode provocar sintomas gastrointestinais em casos mais graves. O tratamento é simples, consistindo em evitar temperaturas frias e estímulos específicos à baixa temperatura, além do uso de anti-histamínicos prescritos por um médico6.

Como é o tratamento da urticária?


O mais indicado, ao perceber o surgimento de lesões e outros sintomas típicos da urticária, é procurar um médico de imediato, não só para diagnosticar o tipo de urticária como também direcioná-lo para o melhor tratamento. Antialérgicos, principalmente os de segunda geração, aqueles que não dão sono, como Allegra® (cloridrato de fexofenadina), são os mais recomendados para o controle das crises1Corticosteroides e imunossupressores também são medicamentos que podem ser usados no tratamento. Outra medida importante é evitar os estímulos no caso de urticárias físicas2.

Este artigo não substitui a consulta com um médico. Allegra® deve ser usado como indicado na bula. Se você suspeita que tem alguma alergia, procure seu médico ou um alergista. Apenas eles podem realizar um diagnóstico adequado.

Leitura recomendada



ALLEGRA®️ (cloridrato de fexofenadina). Indicações: é um anti-histamínico destinado ao tratamento das manifestações alérgicas, tais como sintomas de rinite alérgica (incluindo espirros, obstrução nasal, prurido, coriza e conjuntivite alérgica) e urticária (erupção avermelhada e pruriginosa na pele). MS 1.8326.0359. O USO DO MEDICAMENTO PODE TRAZER ALGUNS RISCOS. Leia atentamente a bula. SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO. Abr/22. MAT-BR-2202383